Tolterodina

Incontinência urinária

Como administrar? Uso Oral
Controlado? Não
Tipo de receita Receita Simples (branca, 1 via)
Manipulado cápsulas
Para que serve?

a é indicado para o tratamento de bexiga hiperativa (doença da bexiga em que há os sintomas de: urgência miccional - para urinar, aumento na frequência de micções, com ou sem incontinência urinária – dificuldade para “segurar” a urina).

Como usar?

Conforme orientação médica

Restrições de uso

Uso Adulto

Interação Medicamentosa

-

Contraindicação

É contraindicado a pacientes que apresentam hipersensibilidade (alergia) à tolterodina; a pacientes com retenção urinária (dificuldade de urinar) ou gástrica (diminuição do tempo de esvaziamento do estômago); com glaucoma não-controlado de ângulo estreito (aumento da pressão dentro dos olhos); colite ulcerativa (inflamação – que gera úlceras - do intestino grosso ou cólon) grave e megacólon tóxico (quando o intestino grosso fica muito distendido – alargado – na ausência de uma obstrução, o que pode ocorrer por causas diversas).

Observações

-

Efeitos Colaterais

Pode causar efeitos antimuscarínicos de leves a moderados, tais como boca seca, dispepsia (má digestão) e diminuição do lacrimejamento. Informe ao seu médico o aparecimento de reações desagradáveis como: sinusite (infecção dos seios da face), reações alérgicas, confusão, tontura, dor de cabeça, sonolência, visão anormal (incluindo acomodação anormal), olhos secos, vertigem (tontura), pele ruborizada (vermelhidão), boca seca, dor abdominal, constipação (prisão de ventre), dispepsia, flatulência (excesso de gases no estômago ou intestinos), refluxo gastroesofágico (conteúdo do estômago que volta para o esôfago), disúria (dificuldade ou dor para urinar), retenção urinária, fadiga (cansaço). Durante a pós-comercialização foram observados os seguintes eventos: reações anafilactóides (reações alérgicas graves), desorientação, alucinações, distúrbio de memória, taquicardia (aceleração dos batimentos cardíacos), palpitações, diarréia, angioedema (inchaço das partes mais profundas da pele ou da mucosa, geralmente de origem alérgica), edema periférico (inchaço nas extremidades do corpo). Foram relatados casos de piora dos sintomas de demência (por ex., confusão, desorientação, delírio) após o início do tratamento com Detrusitol® LA em pacientes tomando inibidores da colinesterase (como o donepezil, a rivastigmina e a galantamina) para o tratamento da demência.

Bibliografia

1. http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/frmVisualizarBula.asp?pNuTransacao=7990232014&pIdAnexo=2216602