Cotar Agora
Home / Pricípios ativos / Testosterona

Testosterona

( Hormônios e Hormônios Androgênicos )

Formas de Administração

Uso Tópico

Controlado?

Sim

Tipo de Receita

Receita de Controle Especial (branca, 2 vias)

Manipulado

Creme; Gel; Solução alcóolica; Solução

Os hormônios masculinos, como a testosterona, são responsáveis pelo crescimento e desenvolvimento normais dos órgãos sexuais masculinos e pela manutenção das características sexuais (estimulando o crescimento de pelos, engrossamento da voz e desenvolvimento da libido). A testosterona é responsável também pelo efeito geral sobre o anabolismo proteico e pelo desenvolvimento do músculo esquelético e distribuição da gordura corporal. Quando a secreção de testosterona é insuficiente resulta em uma situação clínica chamada hipogonadismo masculino (diminuição da secreção interna dos testículos), causando sintomas como disfunção erétil e redução no desejo sexual, fadiga (cansaço) e perda de energia, humor deprimido, regressão das características sexuais secundárias e osteoporose. A testosterona está indicada na terapia de reposição de testosterona no hipogonadismo masculino, quando a deficiência de testosterona for confirmada por características clínicas e exames bioquímicos. O objetivo é repor os níveis séricos de testosterona.

Como usar?

A dose diária deve ser ajustada caso a caso, pelo médico, dependendo da resposta clínica e laboratorial de cada paciente. Recomenda-se não ultrapassar a dosagem de 10 g por dia.

Restrições de uso

Uso adulto acima de 18 anos

A testosterona interage anticoagulantes orais, causando mudanças na atividade de coagulação sanguínea. A administração simultânea de testosterona e corticosteroides pode aumentar o risco de desenvolvimento de inchaço. Como resultado, estes medicamentos devem ser administrados com cautela, especialmente em pacientes que sofrem de doença cardíaca, renal ou hepática. Tratamento com hormônios pode causar interação com testes laboratoriais. Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

Contraindicação

A utilização de testosterona é contraindicada nos seguintes casos: Homens com câncer de mama ou com suspeita ou confirmação de câncer de próstata. Mulheres que estejam grávidas, que pretendam engravidar ou que estejam amamentando. Testosterona pode causar danos ao feto quando administrado em mulheres grávidas, e também pode causar reações adversas graves em bebês lactentes. Pacientes alérgicos a qualquer um dos componentes da fórmula. Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas ou que possam ficar grávidas durante o tratamento.

Observações

“TESTOSTERONA É UM MEDICAMENTO. SEU USO PODE TRAZER RISCOS. PROCURE O MÉDICO E O FARMACÊUTICO. LEIA A BULA” VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA.SÓ PODE SER VENDIDO COM RETENÇÃO DA RECEITA. Siga SEMPRE as orientações do seu médico. Evite a auto-medicação. “SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO”. Este medicamento pode causar doping.

Efeitos Colaterais

As reações adversas mais frequentes a testosterona de uso tópico foram as reações da pele. Reações muito comuns: reação no local da aplicação, eritema, acne, pele seca, principalmente se houver álcool na formulação do produto. Reações comuns: alterações em exames laboratoriais como aumento dos glóbulos vermelhos no sangue (hemáceas) e redução dos níveis do colesterol HDL (colesterol bom), dor de cabeça, doenças da próstata, crescimento das mamas, dor nas mamas, tonturas, parestesia (sensação de formigamento/ardência sem estímulo), amnésia, hiperestesia (hipersensibilidade sensorial), transtornos do humor, hipertensão, diarréia, alopecia (queda de cabelo), calvície, acne e urticária. O crescimento das mamas, que pode ser persistente, é um achado comum em pacientes tratados por hipogonadismo. Reações raras: neoplasias hepáticas associadas a doses excessivas de testosterona. Além dos citados acima, outros efeitos indesejáveis conhecidos têm sido relatados na literatura após o tratamento oral ou injetável de testosterona, como listado a seguir: Ganho de peso, alterações de eletrólitos com doses elevadas e/ou tratamento prolongado, cãibras, depressão, nervosismo, hostilidade, apnéia do sono, seborréia, alterações da libido, aumento da frequência das ereções, redução da espermatogênese e tamanho dos testículos reversível. Altas doses ou administração prolongada de testosterona ocasionalmente aumentam a ocorrência de retenção de água e edema; podem ocorrer reações de hipersensibilidade. Em casos raros, ereções dolorosas persistentes (priapismo), câncer de próstata (sem dados conclusivos), obstrução urinária. Em casos muito raros, icterícia e anormalidades em testes de função hepática.

Bibliografia

ANDROGEL. Laboratório Besins Healthcare. Bula do medicamento. Disponível em: http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/index.asp. Acesso em junho de 2017. AXERON. Laboratório Eli Lilly. Bula do medicamento. Disponível em: http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/index.asp. Acesso em junho de 2017.