Home / Pricípios ativos / Rabeprazol

Rabeprazol

( Gastrite e Refluxo )

Cotar Agora

Formas de Administração

Uso Oral

Controlado

Não

Tipo de Receita

Receita Simples (branca, 1 via)

Manipulado

cápsulas

Indicação


 Tratamento de úlcera duodenal ativa, úlcera gástrica benigna ativa e doença do refluxo gastroesofágico (DRGE) sintomática, erosiva ou ulcerativa.  Tratamento a longo prazo da Doença do Refluxo Gastroesofágico (Tratamento de manutenção da DRGE).  Tratamento sintomático da Doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE sintomática).  Associado a antibacterianos apropriados para: - erradicação do Helicobacter pylori em pacientes com doença ulcerosa péptica ou gastrite crônica; - tratamento de cicatrização e prevenção da recidiva de úlceras pépticas em pacientes com úlceras associadas ao Helicobacter pylor.

Posologia


-

Restrições de uso


Uso Adulto

Interação Medicamentosa


-

Contraindicação


Rabeprazol é contra-indicado em pacientes com hipersensibilidade conhecida ao rabeprazol, aos benzimidazóis substituídos ou a qualquer um dos componentes da fórmula do produto. Rabeprazol é contra-indicado na gestação durante a lactação. Quando a administração de rabeprazol é indispensável, a amamentação deve ser interrompida.

Observações


-

Reações Adversas


O rabeprazol foi bem tolerado durante os ensaios clínicos realizados. Os eventos adversos observados foram geralmente leves/moderados e transitórios. Os eventos adversos mais freqüentes (incidência ≥ 5%) foram cefaléia, diarréia e náusea. Outros eventos adversos (incidência < 5% e ≥ 2%) foram rinite, dor abdominal, astenia, flatulência, faringite, vômitos, dores inespecíficas ou nas costas, vertigem, síndrome gripal, infecção, tosse, constipação e insônia. Os eventos adversos menos freqüentes (incidência ≤ 1%) foram erupção cutânea, mialgia, dor no peito, sensação de secura na boca, dispepsia, nervosismo, sonolência, bronquite, sinusite, calafrios, eructação, cãibras nas pernas, infecção no trato urinário, artralgia e febre. Em casos isolados foram relatados anorexia, gastrite, ganho de peso, depressão, prurido, distúrbios da visão ou paladar, estomatite, sudorese e leucocitose. Entretanto, somente cefaléias, diarréia, dor abdominal, astenia, flatulência, erupção cutânea e sensação de secura na boca foram associados com o uso de Rabeprazol. Experiência Pós-comercialização houve relatos de aumento de enzimas hepáticas e, raramente, de hepatite e icterícia. Em pacientes com cirrose de base foram relatados casos raros de encefalopatia hepática. Trombocitopenia, neutropenia, leucopenia, reações bolhosas ou erupções cutâneas urticariformes, reações alérgicas sistêmicas agudas também foram raramente relatadas, mialgia e artralgia. Houve relatos muito raros de nefrite intersticial, ginecomastia, eritema multiforme, necrólise epidérmica tóxica e Síndrome de Stevens-Johnson.

Bibliografia


1. https://infinitypharma.com.br/uploads/insumos/pdf/r/rabeprazol-pelletes-8.5.pdf