Cotar Agora
Home / Pricípios ativos / Mucuna Pruriens Extrato Seco

Mucuna Pruriens Extrato Seco

( Fitoterápico , Imunidade , Suplementos , Diurético e Neuropatias )

Formas de Administração

Uso Oral

Controlado?

Não

Tipo de Receita

Receita Simples (branca, 1 via)

Manipulado

cápsulas

Apresenta propriedades anti-parkinsoniana, hipoglicêmica, hipocolesterolêmica, antioxidante, afrodisíaca, anticoagulante, antimicrobiana, vermífuga, analgésica, antiinflamatória, antipirética, diurética, anabólica, antiespasmódica, imunomoduladora, aumenta força e massa muscular, antienvelhecimento, aumenta o senso de bemestar, aumenta a libido, aumenta os níveis de testosterona, melhora a agilidade mental e melhora a coordenação motora. É indicada no tratamento da doença de Parkinson, devido à alta concentração de Ldopa nas sementes. Estudos estabeleceram que, a uma dose equivalente, o pó de mucuna assemelha-se a L-dopa com respeito à modulação do caminho dopaminérgico, enquanto a presença de outros constituintes contribuem para melhorar a atividade antiparkinsoniana e aumentar a tolerabilidade em animais. Concluiu-se que a melhora dos sintomas do mal de Parkinson é devida à conversão de L-dopa em dopamina e a sua distribuição em partes do cérebro onde a deficiência é associada com o Parkinson.

Como usar?

- Extrato Seco Padronizado 20% Levodopa: 400 mg uma vez ao dia ou em doses divididas ou conforme recomendação médica. Estudos mostram que a dose diária máxima tolerada por adultos, sem causar sintomas indesejáveis é de 1500 mg de L-Dopa.

Restrições de uso

Uso Adulto e Pediátrico

Inibidores da MAO.

Contraindicação

O consumo da semente pode estimular a atividade uterina, portanto deve ser evitado por mulheres durante a gravidez. Pacientes com hipoglicemia ou diabetes devem utilizar sob supervisão médica, pois possui a capacidade de reduzir o açúcar do sangue. É contraindicado em combinação com inibidores da M.A.O; e para pacientes com síndromes andrógenas excessivas, por possuir atividade androgênica.

Observações

-

Efeitos Colaterais

Alguns pacientes com doença de Parkinson tratados com mucuna apresentaram vômito, distenção abdominal, náusea, discinesia e insônia.

Bibliografia

1. http://florien.com.br/wp-content/uploads/2016/06/MUCUNA.pdf