Home / Pricípios ativos / Metoxisaleno

Metoxisaleno

( Pele )

Cotar Agora

Formas de Administração

Uso Oral

Controlado

Não

Tipo de Receita

Receita Simples (branca, 1 via)

Manipulado

cápsulas

Indicação


É indicado, através da fotoquimioterapia sistêmica com exposição a radiação ultravioleta, para tratamento repigmentante de vitiligo e da psoríase severa, recalcitrante e incapacitante que não respondem adequadamente a outras formas de terapia e quando o diagnóstico for baseado em uma biópsia.

Posologia


-

Restrições de uso


Uso Adulto

Interação Medicamentosa


Agentes fotossensiblizantes conhecidos como antralina, alcatrão de ulha e seus derivados, griseofulvina, fenotiazinas, ácido nalidíxico, salicilanilidas halogenadas em sabonetes bacteriostáticos, sulfonamidas, tetraciclinas, tiazidas e certos corantes orgânicos como azul de metileno, azul de toluidina, rosa bengala e alaranjado de metila.

Contraindicação


- Não deve ser utilizado durante a gravidez e a lactação. - Pacientes que apresentem reações idiossincráticas aos derivados dos psoralenos; - Pacientes com melanoma ou que tenham história de melanoma. - Pacientes com carcinoma invasivo de células escamosas. - Pacientes com afaquia, devido ao aumento significativo do risco de danificar a retina devido à ausência do cristalino.

Observações


-

Reações Adversas


O efeito adverso mais frequentemente observado com o uso de Metoxisaleno é náusea que ocorre em, aproximadamente, 10% dos pacientes. Este efeito pode ser minimizado ou evitado instruindo o paciente a tomar o medicamento com leite ou outros alimentos e dividir a dose em tomadas com intervalos de meia hora. Outros efeitos incluem nervosismo, insônia e depressão. A terapia combinada de Metoxisaleno com raios UVA pode provocar: - Prurido: Esta reação adversa ocorre em aproximadamente 10% dos pacientes. Na maioria dos casos o prurido pode ser aliviado com a aplicação frequente de emolientes suaves e outros agentes tópicos. O prurido severo pode requerer tratamento sistêmico. Caso o prurido não responda a essas medidas, proteger as áreas pruriginosas da exposição UVA até que a condição tenha melhorado. Se o prurido for intratável e se generalizar, o tratamento UVA deverá ser descontinuado até que o prurido desapareça. - Eritema: Um eritema leve e passageiro que aparece de 24 a 48 horas após o início da terapia UVA é uma reação esperada e indica que ocorreu uma interação terapêutica entre o Metoxisaleno e o UVA. Qualquer área que apresente um eritema moderado deverá ser protegida durante as exposições seguintes ao UVA até que o eritema tenha desaparecido. Um eritema maior do que o primeiro pode aparecer dentro das primeiras 24 horas após o tratamento com UVA o que pode sinalizar uma queimadura potencialmente severa. O eritema pode piorar progressivamente nas 24 horas seguintes já que a reação máxima do eritema é produzida após 48 horas ou mais após a ingestão de Metoxisaleno. Assim, o paciente deverá estar protegido de novas exposições ao UVA, à luz solar e ser observado de perto. Outras: edema, cefaléia, mal estar, depressão, hipopigmentação, vesiculação e formação de bolhas, erupções não específicas, herpes simples, miliária, urticária, foliculite, distúrbios gastrintestinais, sensibilidade cutânea, cãibras nas pernas e hipotensão.

Bibliografia


1. http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/frmVisualizarBula.asp?pNuTransacao=5381292015&pIdAnexo=2689589