Home / Pricípios ativos / Mandragora

Mandragora

( Homeopatia )

Cotar Agora

Formas de Administração

Uso Oral

Controlado

Não

Tipo de Receita

Receita Simples (branca, 1 via)

Manipulado

Solução, glóbulos

Indicação


• Os indivíduos que sofrem Mandrágora têm o comportamento do submundo (marginal). • Ansiedade. • Apatia, indiferença. • Debilidade de memória. • Concentração e memória ausentes. • Confusão mental, prostração da mente com embotamento mental. • Delírios e confusão mental. • Depressão com apatia ou irritação, podendo bruscamente alternar com euforia e alegria. • Desalentado e descontente. • Emoções afloram tal qual realmente são sentidas, cálidas, transbordantes, expressas pelo riso louco, fala desconexa e andar sem rumo, ou tristes, presas, dolorosas e paralisantes, vistas no acocorar-se, ao prender-se ao chão. caricatura da espécie humana, carregando os múltiplos comportamentos paradoxais da espécie, na figura do vagabundo, desabrigado, aquele tipo louco que habita as ruas das cidades e do interior e bairros grandes das grandes capitais, servindo de deboche para as crianças de rua e saídas de escolas, uma vez que vivem uma realidade própria dentro de seu universo delirante, ora eufórico cantarolante, ora maníaco ou prostrado, ou ainda como que endemoniado, histérico, fora de si, irresponsável e obsceno. • Euforia alternando com tristeza. • Excitabilidade associada a uma irritabilidade apática. • Hipersensíveis, históricos, com tendência a estados hipomaníacos ou maníaco-depressivos, acompanhados por sintomas psicossomáticos. • Histeria. • Irresolução e irritabilidade. • Humor, acessos de choro alternando com euforia ou agitação exagerada. • Ilusão de estar possuído. • Libido sexual aumentada ou diminuída (uso histórico como afrodisíaco). • Mania de trabalho, laborioso contrastando com aversão ao trabalho. • Nervosismo e inquietude. • Personalidade retrata a miséria humana, sua confusão, sua incoerência, sua inconstância, sua ambivalência, sua inconseqüência e sua irresponsabilidade; como se estivesse sob o domínio da magia da planta, ora estão entorpecidos e anestesiados, ficando indiferentes ao prazer e ao trabalho, ora estão excitados, eufóricos, com visões terríveis e fantasmagóricas, agindo como enlouquecidos. • Sensação de dormência nos braços e nas pernas, na cabeça, no rosto e nas mucosas. • Sentimento de ansiedade e insegurança. A pessoa tem o comportamento do sub-mundo marginal. Vivem uma realidade própria e preferem as ruas. • Amigdalites recidivas. • Ardência anal. • Artrites. • Artrose. • Bexiga frouxa com necessidade freqüente de urinar. • Boca seca. • Bronquite aguda. • Cefaléias congestivas relacionadas à ansiedade e antecipação, que melhora ao ar livre e pressão forte, piorando com exposição ao sol, fumo e álcool. • Ciática. • Congestão aguda dos olhos. • Congestão cefálica (semelhante à Belladona), com sinais de pletora, acompanhados de mãos e pés frios. • Conjuntivite. • Dor epigástrica freqüente que melhora ao comer ou beber e também ao inclinar para trás. • Dores em grandes articulações e em coluna, que melhoram com movimentação contínua. • Dormência da garganta como se estivesse anestesiada. • Estomatite aftosa, estomatite hemorrágica. • Extase venosa com hemorróidas. • Furúnculos e erupções, com pele oleosa que suja as roupas pessoais e de cama. • Gota. • Hemorróidas sangrantes. • Herpes labial (semelhante à Natrum muriaticum). • Hipersensibilidade aos ruídos. • Incontinência noturna ou dificuldade para urinar, a saída abundante de urina melhora a depressão. • Irite. • Lombociatalgia que melhora ao se reclinar ou se movimentar. • Mau hálito. • Midríase, os objetos parecem ter listras. • Obstipação, como fezes caprinas, ou evacuação de fezes amolecidas porém com dificuldade. • Perodontite (inflamação aguda das raízes dentárias) muito dolorosa ao toque. • Rouquidão e dispnéia. • Secreções com mau odor; melhora após urinar. • Sensível aos odores. • Sistema nervoso periférico profundamente alterado. • Sono agitado, intranqüilo, sonolência durante o dia mesmo depois de uma boa noite de sono. • Tosse por irritação laríngea. • Varizes em membros inferiores, tendência hemorrágica com petéquias nas coxas e estomatite hemorrágica. • Vertigens semelhantes à Síndrome de Meniere, precisando deitar-se para melhorar, outras vezes piora ao se deitar ou se virar, geralmente após emoção ou ansiedade. •Zumbido persistente.

Posologia


-

Restrições de uso


Uso Adulto e Pediátrico

Interação Medicamentosa


-

Contraindicação


-

Observações


-

Reações Adversas


-

Bibliografia


1. https://www.abrahcon.com/materia-medica/pt/mandragora-159