Cotar Agora
Home / Pricípios ativos / Furosemida

Furosemida

( Antihipertensivo e Diurético )

Formas de Administração

Uso Oral

Controlado?

Não

Tipo de Receita

Receita Simples (branca, 1 via)

Manipulado

cápsulas

A Furosemida é indicada no tratamento da hipertensão arterial leve a moderada, inchaço do corpo devido a problemas no coração, fígado ou rins ou devido a queimaduras.

Como usar?

20mg a 80mg ao dia, conforme a necessidade.

Restrições de uso

Uso Adulto

Associações desaconselhadas Hidrato de cloral: sensação de calor, perspiração, agitação, náusea, aumento da pressão arterial e taquicardia podem ser encontradas em casos isolados após a adminis tração intravenosa da furosemida dentro das 24 horas da ingestão de hidrato de cloral. Portanto, não é recomendado o uso concomitante de furosemida e hidrato de cloral. Antibióticos aminoglicosídicos e de outros medicamentos que podem ser tóxicos ao ouvido: a furosemida pode potencializar a ototoxicidade, ou seja, toxicidade ao ouvido de antibióticos aminoglicosídicos e de outros fármacos ototóxicos. Visto que os efeitos resultantes sobre a audição podem ser irreversíveis, esta combinação de fármacos deve ser restrita a indicações vitais. Precauções de uso Cisplatina: existe risco de toxicidade ao ouvido quando da administração concomitante de cisplatina e furosemida. Além disto, a toxicidade aos rins da cisplatina pode ser aumentada caso a furosemida não seja administrada em baixas doses (por exemplo, 40 mg em pacientes com função renal normal) e com balanço de fluidos positivo quando utilizada para obter-se diurese forçada durante o tratamento com cisplatina. Sucralfato: a administração concomitante de furosemida por via oral e sucralfato deve ser evitada, pois o sucralfato reduz a absorção intestinal de furosemida e, consequentemente, seu efeito. Aguardar pelo menos um período de 2 horas entre uma administração e outra. Sais de lítio: a furosemida diminui a excreção de sais de lítio e pode causar aumento dos níveis sanguíneos de lítio, resultando em aumento do risco de toxicidade do lítio, incluindo aumento do risco de efeitos tóxicos do lítio ao coração e ao sistema nervoso. Desta forma, recomenda-se que os níveis sanguíneos de lítio sejam cuidadosamente monitorizados em pacientes que recebem esta combinação. Medicamentos que inibem a enzima conversora da angiotensina (ECA): pacientes que estão recebendo diuréticos podem sofrer que da acentuada da pressão arterial e prejuízo da função dos rins, incluindo casos de insuficiência dos rins, especialmente quando um inibidor da enzima conversora de angiotensina (ECA) ou antagonista do receptor de angiotensina lI, é administrado pela primeira vez ou tem sua dose aumentada pela primeira vez. Deve-se considerar interrupção da administração da furosemida temporariamente ou, ao menos, reduzir a dose de furosemida por 3 dias antes de iniciar o tratamento com ou antes de aumentar a dose de um inibidor da ECA ou antagonista do receptor de angiotensina II. Associações a considerar Antiinflamatórios não-esteroidais (AINEs): agentes antiinflamatórios não esteróides, (incluindo ácido acetilsalicílico) podem atenuar a ação da furosemida. Em pacientes com diminuição do líquido circulante nos vasos (hipovolemia) ou desidratação, a administração de AINEs pode causar uma diminuição aguda da função dos rins. A toxicidade do salicilato pode ser aumentada pela furosemida. Fenitoína: pode ocorrer diminuição do efeito da furosemida após administração concomitante de fenitoína. Antibióticos: a furosemida pode potencializar os efeitos nocivos de fármacos nefrotóxicos nos rins. Corticosteróides, carbenoxolona, alcaçuz e laxante: o uso concomitante com corticosteróides, carbenoxolona, alcaçuz em grandes quantidades e uso prolongado de laxantes, pode aumentar o risco de desenvolvimento de hipopotassemia (que da dos níveis de potássio no sangue). Outros medicamentos, por exemplo, preparações de digitálicos e medicamentos que induzem a síndrome de prolongamento do intervalo QT: algumas alterações eletrolíticas (por exemplo, hipopotassemia, hipomagnesemia, ou seja, queda do nível de potássio ou de magnésio no sangue) podem aumentar a toxicidade de outros fármacos (por exemplo, preparações de digitálicos e fármacos que induzem a síndrome de prolongamento do inter valo QT). Medicamentos anti-hipertensivos diuréticos ou outros que potencialmente diminuem a pressão sanguínea: quando administrados concomitantemente com a furosemida podem provocar uma queda mais pronunciada da pressão sanguínea. Medicamentos como probenecida e metotrexato: assim como a furosemida, são secretados significativamente por via tubular renal, podem reduzir o efeito da furosemida. Por outro lado, a furosemida pode diminuir a eliminação renal destes fármacos. Em caso de tratamento concomitante com altas doses de furosemida e outros medicamentos, pode haver aumento dos níveis no sangue e também dos riscos de efeitos adversos resultantes de ambas as substâncias. Antidiabéticos e medicamentos que aumentam a pressão arterial atuando no sistema nervoso simpático: os efeitos dos antidiabéticos e medicamentos hipertensores simpatomiméticos (ex: epinefrina, norepinefrina) podem ser reduzidos. Teofilina ou relaxantes musculares do tipo curare: seus efeitos podem aumentar. Cefalosporinas: insuficiência dos rins pode se desenvolver em pacientes recebendo simultaneamente tratamento com furosemida e altas doses de certas cefalosporinas. Ciclosporina A: o uso concomitante de ciclosporina A e furosemida está associado com aumento do risco de artrite gotosa subsequente à hiperuricemia induzida por furosemida e à insuficiência da ciclosporina na excreção de urato pelos rins.

Contraindicação

A furosemida é contraindicada em lactantes, em pacientes com insuficiência nos rins e ausência de urina, pré-coma e coma devido à encefalopatia do fígado, em pacientes com redução dos níveis de potássio no sangue, redução dos níveis de sódio no sangue, desidratação ou diminuição do sangue circulante e em pacientes com hipersensibilidade aos componentes da fórmula

Observações

-

Efeitos Colaterais

Os efeitos colaterais da furosemida incluem desidratação, diminuição do sangue circulante, especialmente em idosos, aumento dos níveis de creatinina e triglicerídeos no sangue, diminuição dos níveis de sódio e cloreto no sangue, redução dos níveis de potássio no sangue, aumento dos níveis de colesterol e ácido úrico no sangue, crises de gota, aumento do volume urinário e pressão baixa ao levantar.

Bibliografia

1. http://www.gallica.com.br/arquivos/site/materia-prima/furosemida.pdf 2. https://media.netfarma.com.br/bulas/Busonid-64-mcg-P00029ACE00.pdf