Home / Pricípios ativos / Cilostazol

Cilostazol

( Vasodilatadores )

Cotar Agora

Formas de Administração

Uso Oral

Controlado

Não

Tipo de Receita

Receita Simples (branca, 1 via)

Manipulado

cápsulas

Indicação


O Cilostazol está indicado para tratar doença vascular periférica, redução do sintoma da claudicação intermitente * e prevenção da recorrência de acidente vascular cerebral. Atua tratando os problemas de circulação nos quais ocorre diminuição do fluxo de sangue para os músculos da perna, auxiliando as caminhadas de maiores distâncias com menos dor.

Posologia


A dose recomendada de cilostazol para tratar os sintomas da claudicação intermitente é de 100mg, duas vezes ao dia (30 minutos antes ou duas horas após as refeições).

Restrições de uso


Uso Adulto

Interação Medicamentosa


Pode ocorrer elevação nas concentrações plasmáticas do Cilostazol e seu principal metabólito ativo, respectivamente, pelo efeito inibitório de alguns fármacos sobre o citocromo CYP3A4 (ex: antibióticos macrolídeos, antifúngicos azólicos, diltiazem e antidepressivos inibidores da recaptação de serotonina) e o CYP2C19 (ex: omeprazol). Essas interações podem potencializar seus efeitos terapêuticos e tóxicos. Quando tais associações forem inevitáveis, a dose de Cilostazol deve ser reduzida pela metade (de 200 para 100mg/dia). Embora não haja boas evidências de interações relevantes com os anticoagulantes, seu uso concomitante deve ser cuidadoso. A absorção do Cilostazol é aumentada com alimentos ricos em gordura, podendo aumentar a concentração plasmática máxima, em cerca de 90%, e a área sob a curva (AUC), em cerca de 25%. Por isso, recomenda-se sua administração ao menos 30 minutos antes ou duas horas após as refeições, minimizando os riscos dose-dependentes.

Contraindicação


-

Observações


Muitos dos inibidores da fosfodiesterase III estão relacionados com diminuição na sobrevida, quando comparados ao placebo, em pacientes com insuficiência cardíaca de classes III e IV, por isso, o cilostazol está contraindicado em pacientes com qualquer grau de insuficiência cardíaca, predisposição a sangramentos (ex: úlcera péptica ativa, AVC hemorrágico nos 6 meses anteriores, cirurgia nos 3 meses anteriores, retinopatia diabética proliferativa, hipertensão não controlada), história de taquicardia ventricular, fibrilação ventricular e fibrilação ventricular ectópica multifocal, prolongamento do intervalo QT, disfunção hepática moderada ou grave, disfunção renal, gravidez e lactação. Também está contra-indicado nos pacientes com hipersensibilidade ao cilostazol ou a qualquer dos excipientes do produto.

Reações Adversas


Oito ensaios clínicos controlados com placebo envolveram 2274 pacientes. Destes, 303 receberam 100 mg/dia de Cilostazol, 998 receberam 200mg/dia e 973 receberam placebo. A duração do tratamento teve mediana de 127 dias para os grupos do Cilostazol e 134 dias para o grupo placebo. A maior causa de interrupção do tratamento com o Cilostazol (200mg/dia) foi cefaleia, com incidência de 3,5% contra 0,3%, no placebo, respectivamente. Outras causas frequentes de interrupção foram palpitação e diarreia, com incidência de 1,1% para ambas as doses de Cilostazol versus 0,1% para o placebo. Os eventos adversos mais relatados para o Cilostazol 200mg/dia foram: cefaleia (34%); diarreia (19%); anormalidade fecal (15%); tontura (10%); faringite (10%); palpitação (10%); edema periférico (7%); dor abdominal (5%); taquicardia (4%); flatulência (3%); e mialgia (3%). Entre outros eventos adversos relatados estão: vômito, dor abdominal, angina, arritmia, dor torácica, erupção cutânea entre outros.

Bibliografia


1. https://infinitypharma.com.br/uploads/insumos/pdf/c/cilostazol.pdf