Cotar Agora
Home / Pricípios ativos / Captopril

Captopril

( Antiarrítimico , Antihipertensivo , Vasodilatadores e Vasoprotetor )

Formas de Administração

Uso Oral

Controlado?

Não

Tipo de Receita

Receita Simples (branca, 1 via)

Manipulado

Cápsulas

- Hipertensão: captopril é indicado para o tratamento da hipertensão, por reduzir a pressão arterial nesses casos. - Insuficiência Cardíaca: captopril é indicado no tratamento da insuficiência cardíaca congestiva em associação com diuréticos e digitálicos. O efeito benéfico de captopril na insuficiência cardíaca não requer a presença de digitálicos. - Infarto do Miocárdio: o captopril é indicado como terapia pós-infarto do miocárdio em pacientes clinicamente estáveis com disfunção ventricular esquerda assintomática ou sintomática para melhorar a sobrevida, protelar o início da insuficiência cardíaca sintomática, reduzir internações por insuficiência cardíaca e diminuir a incidência de infarto do miocárdio recorrente e as condutas de revascularização coronariana. - Nefropatia Diabética: o captopril é indicado para o tratamento de nefropatia diabética (proteinúria >500 mg/dia) em pacientes com diabetes mellitus insulinodependentes. Nestes pacientes, o captopril previne a progressão da doença renal e reduz sequelas clínicas associadas (diálise, transplante renal e morte).

Como usar?

Conforme orientação médica.

Restrições de uso

Uso Adulto

Não se deve utilizar diuréticos poupadores de potássio, suplementos de potássio ou substitutos de sal contendo potássio, sem consultar o seu médico. A indometacina e outros agentes anti-inflamatórios não esteroides, como o ácido acetilsalicílico, podem diminuir o efeito do captopril. Os riscos de toxicidade causados pelo lítio podem aumentar, caso seja usado juntamente com captopril.

Contraindicação

História de hipersensibilidade prévia ao captopril ou qualquer outro inibidor da enzima conversora da angiotensina (p.ex., paciente que tenha apresentado angioedema durante a terapia com qualquer outro inibidor da ECA), grávidas e lactantes.

Observações

-

Efeitos Colaterais

Reações comuns (ocorrem entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento): - Dermatológicas: Erupções cutâneas, frequentemente com prurido, e algumas vezes com febre, artralgia e eosinofilia, ocorreram em cerca de 4 a 7% dos pacientes, geralmente durante as primeiras 4 semanas de terapia. O prurido, sem erupção, ocorre em cerca de 2% dos pacientes. - Cardiovasculares: Poderá ocorrer hipotensão. Taquicardia, dores no peito e palpitações foram, cada uma delas, observadas em aproximadamente 1% dos pacientes. - Gastrintestinais: Aproximadamente 2 a 4 % dos pacientes (dependendo da dose e do estado renal) apresentaram alteração do paladar. - Respiratórias: Foi relatada tosse em 0,5-2% dos pacientes tratados com captopril em estudos clínicos. Reações incomuns (ocorrem entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento): - Dermatológicas: Lesão associada e reversível do tipo penfigóide e reações de fotossensibilidade. Relata-se raramente rubor ou palidez ( ≥ 0,5% dos pacientes ). - Cardiovasculares: Angina pectoris, infarto do miocárdio, síndrome de Raynaud e insuficiência cardíaca congestiva ocorreram em taxas ≤ a 0,3% dos pacientes. - Hematológicas: Anemia, trombocitopenia, pancitopenia e neutropenia/agranulocitose foram relatados. - Imunológicas: Relatou-se angioedema em aproximadamente 0,1% dos pacientes. O angioedema envolvendo as vias aéreas superiores pode provocar obstrução fatal das vias aéreas. - Renais: Insuficiência renal, dano renal, síndrome nefrótica, poliúria, oligúria e frequência urinária foram relatadas raramente ( ≤ 0,2% ) e sua relação com o uso da droga é incerta. Relatou-se proteinúria. Não foi possível determinar com exatidão a incidência ou a relação causal para os efeitos colaterais listados abaixo: - Gerais: Astenia, ginecomastia. - Cardiovasculares: Parada cardíaca, acidente/insuficiência cérebro vascular, distúrbios de ritmo, hipotensão ortostática, síncope. - Dermatológicos: Pênfigo bolhoso, eritema multiforme (incluindo síndrome de Stevens-Johnson), dermatite esfoliativa. - Gastrintestinais: Pancreatite, glossite, dispepsia. - Hematológicos: Anemia, incluindo as formas aplástica e hemolítica. - Hepatobiliares: Icterícia, hepatite, incluindo raros casos de necrose hepática e colestase. - Metabólicos: Hiponatremia sintomática. - Musculoesquelético: Mialgia, miastenia. - Nervoso/Psiquiátricos: Ataxia, confusão, depressão, nervosismo, sonolência. - Respiratórios: Broncoespasmo, pneumonite eosinofílica, rinite. - Órgãos dos Sentidos: Visão turva. - Urogenitais: Impotência. Assim como ocorre com outros inibidores da ECA, relatou-se uma síndrome que inclui: febre, mialgia, artralgia, nefrite intersticial, vasculite, erupção ou outras manifestações dermatológicas, eosinofilia e hemossedimentação elevada.

Bibliografia

1. http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/frmVisualizarBula.asp?pNuTransacao=15261652016&pIdAnexo=3294050