Aloina

Digestivos

Como administrar? Uso Oral
Controlado? Não
Tipo de receita Receita Simples (branca, 1 via)
Manipulado cápsulas
Para que serve?

O principal uso dessa substância é para o tratamento da constipação (prisão de ventre) por estimulação direta da musculatura do intestino.

Como usar?

A Aloína é usada na faixa de 10 a 60mg, em uma tomada à noite.

Interação Medicamentosa

A hipocalcemia potencializa a ação dos heterosídeos cardiotônicos e interfere na ação dos antiarrítmicos como a quinidina. A administração simultânea de diuréticos tiazídicos, corticosteróides e o extrato podem agravar o desequilíbrio eletrolítico.

Contraindicação

Os derivados antraquinônicos podem possuir um efeito glicosídico, especialmente perigoso durante o primeiro trimestre de gravidez e portanto é contra-indicado o uso na gravidez. É contra-indicado também para lactantes, para crianças menores que 10 anos de idade, pacientes que possuam dores abdominais de origem desconhecida, obstrução das vias biliares, hemorróidas, cistite, prostatite, doença de Crohn, colite ulcerosa, síndrome do cólon irritável e insuficiência cardíaca ou renal.

Observações

O maior perigo dos laxantes irritantes mora na automedicação e no uso crônico: a administração contínua produz uma perda de eletrólitos que altera o equilíbrio sódio-potássio. A depleção de potássio produz uma paralisia da musculatura intestinal, o que culmina numa perda do efeito laxante e a prisão de ventre se perpetua e obriga a aumentar paulatinamente a dose. Isso origina á longo prazo danos irreversíveis sobre a membrana e a musculatura intestinal, com o aparecimento de evacuações com abundante mucosidade e coloração escura da mucosa intestinal (pseudomelanose retocólica). A hipocalemia potencializa a ação dos heterosídeos cardiotônicos e interfere na ação de antiarrítmicos. A administração simultânea de diutréticos tiazídicos e corticosteróides podem agravar o desequilíbrio eletrolítico.

Efeitos Colaterais

Ocasionalmente podem ocorrer espasmos abdominais e irritação renal. Como podem produzir cólicas, devem ser usados concomitantemente com antiespasmódicos.

Bibliografia

1. http://viafarmanet.com.br/wp-content/uploads/2015/07/ALO--NA.pdf em 02/190/2017