Home / Pricípios ativos / Acarbose

Acarbose

( Alimentação , Antidiabéticos e Controle de peso )

Cotar Agora

Formas de Administração

Uso Oral

Controlado

Não

Tipo de Receita

-

Manipulado

-

Indicação


Anti-hiperglicêmico oral que retarda a absorção intestinal de carboidratos. ""... pertence a uma classe conhecida como inibidora da α-glicosidase, a qual retarda a digestão de carboidratos no intestino. (...) é indicado para o tratamento do diabetes mellitus e auxilia no controle dos níveis de açúcar no sangue. A acarbose retarda a digestão dos carboidratos (açucares compostos) da dieta promovendo a redução dos níveis altos e anormais de açúcar que ocorrem após a digestão.

Posologia


A dose inicial recomendada é de 25mg à 100mg diários, de 2 a 3 vezes por dia. Não exceder à 300mg.

Restrições de uso


-

Interação Medicamentosa


-

Contraindicação


"" (...) é contraindicado nas doenças intestinais crônicas associadas a distúrbios bem definidos de digestão e absorção. Estados que possam deteriorar-se resultantes do aumento da formação de gases no intestino (por exemplo, síndrome de Roemheld, hérnias, obstruções intestinais e úlceras intestinais). (...) não deve ser usado por pacientes com insuficiência renal grave (clearance de creatinina < 25 ml/min).""

Observações


Siga SEMPRE as orientações do seu médico. Evite a auto-medicação.

Reações Adversas


Os hipoglicemiantes orais são medicamentos que provocam uma diminuição da glicemia plasmática por diferentes mecanismos de ação dependendo de sua classe. Dessa forma, são largamente utilizados no manejo do Diabetes Melitus Tipo 2. Permitem seu controle e evitam complicações inerentes a doença. ""Durante os primeiros dias ou semanas de tratamento com a acarbose pode ocorrer um aumento de flatulência (gases), sensação de volume aumentado e possivelmente cólicas abdominais. Também é possível a ocorrência de fezes amolecidas ou mesmo diarreia, particularmente após refeições que contenham alimentos com sacarose (açúcar). Normalmente estes sintomas desaparecem com a continuidade do tratamento e com a manutenção da dieta prescrita.""

Bibliografia


M. Hanefeld , M. Cagatay , T. Petrowitsch , D. Neuser , D. Petzinna , M. Rupp. Acarbose reduces the risk for myocardial infarction in type 2 diabetic patients: meta-analysis of seven long-term studies. European Heart Journal 25, 10–16. 2004. 2. Jean-Louis Chiasson, MD; Robert G. Josse, MBBS; Ramon Gomis, MD; Markolf Hanefeld, DSC; Avraham Karasik, MD; Markku Laakso, Acarbose Treatment and the Risk of Cardiovascular Disease and Hypertension in Patients With Impaired Glucose ToleranceThe STOP-NIDDM Trial. JAMA. ;290(4):486-494. 2003 3. Saboo, Banshi et al., behalf of GLOBE Investigators. “Effectiveness and Safety of Fixed Dose Combination of Acarbose/metformin in Indian Type 2 Diabetes Patients: Results from Observational GLOBE Study.” Indian Journal of Endocrinology and Metabolism 19.1 (2015): 129–135. PMC. Web. 10 Feb. 2015. 4. SBD: http://www.diabetes.org.br/ < consultada em 11 de fevereiro de 2015> Stratton IM, Adler AI, Neil HA, Matthews DR, Manley SE, Cull CA, et al. Association of glycaemia with macrovascular and microvascular complications of type 2 diabetes (UKPDS 35): prospective observational study. BMJ;321:405-12. 2000. 5. Consenso Brasileiro Sobre Diabetes – 2002 http://www.anad.org.br/institucional/hipoglicemiantes_orais.asp < consultada em 11 de fevereiro de 2015. 6. Bula ANVISA Aglucose http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/frmVisualizarBula.asp?pNuTransacao=4808132014&pIdAnexo=2087490